No menu items!
11.3 C
Vila Nova de Gaia
Sábado - 2 Março 2024

À conversa com o Cônsul-Geral de Boston

Destaques

O Cônsul-Geral de Boston, Tiago Araújo, esteve em entrevista com o Jornal Comunidades Lusófonas, e explanou como é trabalhar numa comunidade tão alargada como a de Boston, onde se encontram mais de meio milhão de portugueses. A sua leitura, é uma leitura marcante de como os portugueses deixam o seu legado por onde passam e/ou se instalam.

Tiago Araújo, começa por referir que tem “encontrado portugueses com histórias de vida extraordinárias em todos os lugares por onde passei, em particular nesta região da Nova Inglaterra”.

Os padrões de implantação dos portugueses acompanharam as diferentes fases de desenvolvimento económico e social de Boston e de toda a região. Se nos séculos XIX e XX muitos eram atraídos pelos empregos disponíveis na pesca ou na indústria, hoje trabalham no ambiente dinâmico que transformou esta região num dos principais centros mundiais de inovação e de atividade económica.

A nossa comunidade contribuiu para essa transformação. Tenho encontrado portugueses a desenvolverem projetos do maior relevo em todas as áreas. Há um grande número de lusodescendentes eleitos para cargos públicos, empresários de sucesso, investigadores em universidades de topo e muitos que, com o seu trabalho, dão um importante contributo para a sociedade que os acolheu.

“Os portugueses no estrangeiro são uma parte essencial do Portugal contemporâneo que se afirma na economia, inovação, ciência e cultura. E é precisamente isso que tenho visto desde que aqui cheguei”, afirma o Cônsul-Geral.

Acredita que o mais importante é estar disponível para conhecer bem, estar próximo e aprender com a comunidade. Todo o talento e toda a capacidade existem já entre os portugueses. Em boa parte, o nosso papel deve ser o de incentivar e apoiar essas dinâmicas, colocando os portugueses em contacto uns com os outros e com Portugal. “É isso que temos procurado fazer em Boston, trabalhando com clubes e associações e apoiando iniciativas de organizações como o Boston Portuguese Festival, a PAPS – Portuguese American Post Graduate Society ou a PALCUS – Portuguese American Leadership Council of the United States“.

Toda a ação está dependente do contexto específico de cada lugar. Nesta região dos Estados Unidos há uma comunidade muito bem integrada, com um nível de qualificação crescente e uma progressiva e natural dispersão, tanto do ponto de vista geográfico como de interesses. As respostas têm de ser adaptadas a essa realidade.

É por isso cada vez mais importante mostrar o que de positivo os portugueses e lusodescendentes estão a fazer, colocá-los em contacto uns com os outros e garantir que mantêm uma boa ligação a Portugal, incluindo através da prestação eficiente de serviços consulares.

“Temos procurado prestar serviços de proximidade com presenças consulares em locais mais afastados de Boston com concentrações significativas de portugueses, com reações muito positivas, bem como introduzir outras medidas de simplificação.”

Fazem também todos os esforços para apoiar o ensino da língua portuguesa, com uma rede bem consolidada e em expansão em Massachusetts, pelo seu potencial de desenvolvimento pessoal e de ligação entre muitos milhões de pessoas em todo o mundo.

Gosta do que faz e quando chegou a Boston consciente do peso da responsabilidade que é ser Cônsul-Geral numa região dos Estados Unidos com uma tão vasta e importante comunidade portuguesa. Mesmo assim, ao fim de mais de um ano, “continuo a ser surpreendido todos os dias com mais exemplos de sucesso e de superação entre os portugueses que vou encontrando. Tem excedido em muito as minhas expectativas. É uma função que nos permite conhecer um grande número de pessoas e tentar ter um impacto prático nas suas vidas.

Ver Também

Solidariedade e empreendedorismo: as marcas do percurso de Casimiro Gaspar na Flórida

Casimiro Gaspar na Casa do Gaiato de Maputo, meritória instituição a favor das crianças e jovens moçambicanos, que tem...