No menu items!
12.3 C
Vila Nova de Gaia
Sexta-feira - 1 Março 2024

A importância da introdução do exame de língua portuguesa para aceder às universidades americanas (USA)

Destaques

Num país em que o sector educacional é fortemente marcado pela descentralização administrativa, a criação de um exame nacional de língua portuguesa constituiria uma oportunidade de favorecer de forma decisiva o ensino do português nos EUA.

Neste país, os exames nacionais são da responsabilidade do College Board, entidade privada sem fins lucrativos norte-americana. Os alunos que se submetem a este exame são os alunos finalistas do ensino secundário que querem aceder às universidades.

O âmbito nacional dos exames e o seu peso no sistema educacional norte-americano, sugerem que a inclusão da língua portuguesa constituiria por si só, um maior incentivo para a dinamização em geral do ensino do português nos EUA, pois contribuiria para estimular a procura e oferta de cadeiras de português no sistema secundário público e privado norte-americano; para aumentar o número de alunos a estudar temas portugueses nas universidades, para aumentar o prestígio em geral do português nos EUA; para o estabelecimento de práticas de ensino da língua; para a certificação de conhecimentos e para a criação de materiais de apoio.

Seria vantajoso que as entidades portuguesas e porque não também, a Fundação Luso-americana insistirem com a Câmara dos Representantes e com o College Board, no sentido de chegar a acordo quanto à introdução no ensino do exame de língua portuguesa para acesso às Universidade americanas.

Com mais de 10.000 alunos inscritos em cadeiras de português em escolas oficiais americanas, seria importante, o ministro dos negócios estrangeiros português, que também já presidiu à Fundação Luso-americana e que está bem inteirado sobre este assunto, realizar diligências no sentido de criar mais oportunidades a todos os lusófonos que queiram ir estudar para aquele país. Não poderemos esquecer aqui a importância da comunidade brasileira nos EUA e toda a articulação que poderia haver entre diplomatas lusófonos, e luso-eleitos, no sentido de obter esta importante conquista para a difusão da nossa Língua.

O ensino da língua portuguesa encontra-se assim numa posição de superioridade em relação a outras línguas já reconhecidas pelo College Board como é o caso da língua coreana. Fica aqui o apelo às entidades para um pequeno passo que pode beneficiar muitos lusófonos nos Estados Unidos da América.

Paulo Freitas do Amaral/
Professor de História

Os artigos de Opinião são da inteira responsabilidade do autor que os produz. O Jornal Comunidades Lusófonas não interfere. A Diretora.

Paulo Freitas do Amaral
Ver Também

EXCLUSIVO: Bem-Vindos ao Mundo das Novas Tecnologias: A Nanotecnologia é um mundo onde ainda há muito por descobrir

Eng. António Braz Costa, Diretor-Geral do CeNTI. Em entrevista ao CeNTI, Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), o seu Diretor-Geral...