No menu items!
12.3 C
Vila Nova de Gaia
Sexta-feira - 1 Março 2024

O 10 de junho: “Minha pátria é a língua portuguesa”

Destaques

Quisemos ouvir Daniel Bastos, escritor, e historiador, sobre o 10 de junho, e como o vê, bem como a evolução da língua de Camões, que tem cada vez mais falantes a nível mundial.

Exclusivo

Jornal Comunidades Lusófonas – Na qualidade de escritor como vê o dia 10 de junho?

Daniel Bastos – Enquanto escritor e historiador apaixonado pela nossa diáspora, e cujo percurso tem sido alicerçado no seio das comunidades portuguesas, o 10 de junho reveste-se pessoalmente de uma importância capital na celebração da presença portuguesa no mundo, da cultura lusófona, da matriz identitária e universalista dos portugueses.


JCLHistoricamente sabe-se que o feriado foi declarado com a morte de Camões, como vê a língua portuguesa desse período e o da atualidade?

DB – O 10 de junho começou por ser um feriado municipal em Lisboa, dedicado a Camões, tendo sido elevado pelo Estado Novo a feriado nacional, como o “Dia de Camões, de Portugal e da Raça”. Com a implantação da Democracia, passou a ser designado como Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. A língua portuguesa é atualmente uma das mais faladas à escala planetária, abrangendo a língua oficial de Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, e desde 2010, foi sancionada como a terceira língua oficial da Guiné Equatorial.

JCLDê-nos um lamiré sobre a evolução da língua portuguesa desde Camões até aos dias de hoje.

DB – A língua de Camões ocupa indelevelmente um dos lugares cimeiros na lista dos idiomas que ostentam uma dimensão mundial, assim como um incomensurável potencial de expansão. Com um passado riquíssimo, histórico e universalista, a língua portuguesa é no presente, e no futuro, um elo estruturante do mundo lusófono, um ativo estratégico no reforço dos laços económicos, mas também socioculturais à escala global. Laços que reavivam cada vez mais a expressão pessoana a “Minha pátria é a língua portuguesa”.

JCL – O que acha do novo acordo ortográfico?

DB – É a língua portuguesa em evolução. As línguas são dinâmicas, estão em permanente mudança e refletem as mundividências da cultura, dos valores e da História. No caso da língua portuguesa ela reflete hodiernamente o peso estruturante do espaço alargado e incontornável da Lusofonia, um espaço indispensável para Portugal alcançar escala e peso na balança da Europa e do Mundo.

Ver Também

EXCLUSIVO: Bem-Vindos ao Mundo das Novas Tecnologias: A Nanotecnologia é um mundo onde ainda há muito por descobrir

Eng. António Braz Costa, Diretor-Geral do CeNTI. Em entrevista ao CeNTI, Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), o seu Diretor-Geral...