No menu items!
20 C
Vila Nova de Gaia
Domingo - 23 Junho 2024

Quando as flores vêm às ruas: Festa dos Tabuleiros em Tomar

Destaques

São 10 dias em festa em Tomar pela ocasião da “Festa dos Tabuleiros”. Começou no dia 1 de julho e termina no dia 10 do mesmo mês. Esta festividade tem muito para mostrar, criatividade, muito empenho e horas a fio para conseguir o tabuleiro perfeito, para ser desfilado pelas ruas de flores, a perder de vista.

“A Festa dos Tabuleiros decorre de 1 a 10 de Julho, que é celebrada de quatro em quatro anos, em Tomar, tendo o seu ponto alto no próximo domingo, dia 9, com o cortejo principal”, disse Nuno Lopes ao Jornal Comunidades.

Além disso, “há um vasto programa, cujos momentos principais foram o cortejo dos rapazes, no domingo passado; e serão o cortejo do mordomo, ao final da tarde de sexta-feira; os cortejos parciais e jogos populares, no sábado; e a distribuição da pesa na segunda-feira. Acresce, a partir da noite de amanhã, estarão abertas mais de trinta ruas populares ornamentadas com flores de papel”. Existe ainda um extenso programa de animação, incluindo concertos gratuitos todas as noites com nomes sonantes da música portuguesa.
Esta é uma festividade que se integra nas Festas do Espírito Santo, que já existiam em vários pontos de Portugal no século XIII e tiveram depois um incremento com a rainha Santa Isabel. “Não há documentação que permita estabelecer uma datação exata, mas a partir do século XIX o nome estava já institucionalizado, embora também quanto à sua origem pouco se saiba”, como nos afirma Nuno Lopes da Câmara Municipal de Tomar.

Atualmente, a Festa realiza-se de quatro em quatro anos. “Ano e meio antes, o povo é chamado para se pronunciar sobre a sua realização e escolher o mordomo”. A partir daí começa o trabalho: além dos tabuleiros, é preciso confecionar milhões de flores de papel para as ruas. Esse trabalho é feito por milhares de pessoas, por todo o concelho, durante vários meses. Para os tabuleiros são necessários os cestos em verga e as coroas, feitas respetivamente por cesteiros e latoeiros. A montagem da estrutura, que inclui as canas onde é enfiado o pão e a decoração final com as flores de papel, é geralmente feita nas juntas de freguesia.

É difícil quantificar os muitos milhares de pessoas que vão circulando por Tomar durante estes dias, mas ao longo de toda a Festa serão seguramente muitas centenas de milhar, em especial no dia 9.

Esta é uma festa do Espírito Santo, na qual uma das características (ainda muito presente, por exemplo, nos Açores), é a coroação do imperador, que não é o poderoso mas o simples (em Tomar, não havendo coroação, continuam a existir as coroas, que vão em destaque no cortejo). Há como que uma inversão dos valores, em que a fraternidade é real. “Na prática, em Tomar, celebra-se o espírito comunitário, com todo um concelho envolvido na realização da Festa”, termina desta forma Nuno Lopes.

Ver Também

Os Homens deste Governo que traíram os ex-combatentes

Este Governo tem os mesmos Homens que fecharam o centenário Instituto de Odivelas. Aguiar Branco numa coligação PSD/CDS, como ministro...